22 de dezembro de 2009

3..2..1..!

Já? Já! Acabou. Cada vez mais os anos passam como se fosse um final semana. O bom é nenhum ano é igual ao outro, mesmo sendo mais um. E esse, não foi qualquer um. Ano da mudança, intenso, profundo, uma "metamorfose ambulante", "o queira ou não queira", "mistério profundo". Definitivamente ninguém terminou do jeito que começou. Talvez foi uma preparação para algo que está por vir. Ou não, foi simplesmente como tinha que ser, com surpresas, presentes pessoas, pessoas presentes, risadas, lágrimas, crescimento, degraus pra subir, tudo no mesmo pacote. Foi o ano que desprezou o "ter" para valorizar o "ser". O ser de hoje que ajuda a construir o será de amanhã e sempre. E assim a gente vai, um dia de cada vez. Be cool, clown around. No pressure, take it easy. Na positividade. Não esquecendo de passar protetor, beber água e respirar. Que venha 2010 e "a promessa de vida no teu coração".

Gabmmy 2009:
Prêmio de banda revelação nacional: Móveis Coloniais de Acaju
Prêmio de banda revelação internacional: Fanfarlo
Prêmio de melhor coreografia: I gotta feeling - Black Eyed Peas
Prêmio de melhor música: Bruises - Chairlift
Prêmio de melhor trilha sonora para qualquer hora: The Killers
Prêmio de melhor cd: Coldplay
Prêmio de melhor música tema: Far Far - Yael Naim
Prêmio de melhor teaser de música: War of my life - John Mayer
Prêmio de melhor livro: O escafandro e a borboleta

21 de dezembro de 2009

Presente sob encomenda!

Preciso falar se gostei desse presente? Um dos mais sob medida que eu já recebi na vida! Queria levar no bolso pra onde eu fosse! Esse Hemingway sabe das coisas! Pelo menos ele me entende!

18 de dezembro de 2009

Here's to us!

Viciei nessa propaganda (http://www.youtube.com/watch?v=JCASbJFM1GY) precisava colocar o texto todo dela! Parece que é a minha filosofia de vida!


"Let's raise a glass to the almost-forgotten,

Here's to doing things the right way.

To giving a damn about others.

Here's to giving your word... and keeping it.

Here's to honour,
And it's simple extension... the handshake.

Here's to style, exuberance and charisma.

Here's to gallantry... long may it live.

To the man rich... in ...experience.

Here's to chasing wealth... in all its forms,

And here's to sharing it.

Here's to straight talking or, as it used to be known... honesty.

Here's to having some front... and watching someone's back.

Here's to knowing that life's real luxuries are time and friendships.

Here's to optimism and leaps of faith.
And while we're at it... here's to freedom.
And having the audacity to go out and get it.

Here's to knowing that you are not alone.

That together we're better, stronger, smarter.

Here's to the brave and the enlightened.

To a shared way of behaving that sets certain men apart from all others.

Here's to us!"

16 de dezembro de 2009

E aí?

O mundo gira, gira. E dentro dele dá para ficar tonto de tantas possibilidades. Ou isso, ou aquilo. Ou você é ou não é. Ou você faz ou não faz. Ou você fica ou vai. Ou você se acomoda, como todo mundo faz. Ou você ousa e se arrisca, como todo mundo gostaria de fazer. Ou você faz o que todo mundo espera ou você faz o que você está esperando fazer. Ou você fica no piloto automático ou você gasta energia para ir atrás. Ou você não se dá ao trabalho ou faz algo que dá trabalho. Ou você sai da zona do conforto, conhecido ou você se desmima, desmama. O certo ou o errado? Ninguém sabe, nem agora, nem amanhã, talvez depois, talvez não.

15 de dezembro de 2009

A vida é um morango

E quando você nem queria juntar palavras? Quando você só queria fazer uma música. Quando você só queria ir para um lugar bem, bem alto, daqueles que te deixa mais perto do céu e mais longe do perigo. Alto o sufuciente para ficar mais fácil ver e ouvir o que se precisa. Sem hora marcada, com o tempo sentado do seu lado. Naquele instante infinito que você se sente livre mas acolhida, do jeito mais contraditório que possa existir. É, mais uma mudança mandando recado. Afinal, se de definitivo só existe a fé e o amor, porque ter tanto medo de mudar. High or low. Sozinho você decide, mas sozinho não se está.

7 de dezembro de 2009

"Saiba que todo fim, é um recomeço..."

Sempre a mesma coisa. Começa e logo já acaba. Mas a verdade verdadeira é que nem começou e nem acabou. A vida não deveria ser tão contada. Perdemos tempo demais definindo e querendo segurar algo que foi feito para ser livre. A vida é o que é. Algo leve, solto, multidirecional, colorido, hipnotizante, um algo que se movimenta como a música, natural e cheia de sentimento como tem que ser. É essa inspiração que faz aparecer melodia e cor em tudo. É esse siricutido de querer conhecer cada tijolo do mundo. É essa mania de querer marcar e ajudar os outros, sem se passar desapercebido. É essa vontade de querer, o tempo todo, juntar as pessoas que se gosta, juntar bem junto, tão mas tão junto, que causa até uma reação explosiva de fogos de artifício no céu. Mas se dividir a vida em anos serviu pra alguma coisa, foi para fazer os sonhos ganharem força a cada número novo que aparece. E se isso precisa acontecer, que seja com fogos explodindo, sempre.

My song

When there is nothing left to say
When there is nothing left to do
When there is nothing left to think
All you have to do is sing
Sing the beautifull song inside of you
The one that you are the only one who knows
The one that is always in playing inside of your soul
The one that takes you away and brings you back to life
A melody that chills every part of you
It can last minutes or a lifetime
It doesn't matter if it is made with lyrics or not
Because you are the best chorus of it
After all, when it comes from the heart, it makes you free
Free to say it all, without saying nothing at all

2 de dezembro de 2009

Waiting for something extraordinary

E em um piscar de olhos, tudo vai. Vai como aquele sono que veio na hora errada e foi embora quando precisava aparecer. Vai rápido como as férias que você tanto precisava e que não foram longas o bastante. Vai como aquele momento que dava vontade de durar a vida toda, só ali. Vai como cada tudo que a gente pode dar valor. Vai como a ansiedade que já perdeu o sentido de ficar. Espero que essa espera também vá e passe logo. E enquanto o sol não nasce de novo, eu espero esperançosa. Só não sei se quero continuar esperando acordada ou dormindo. Já que sonhar, faço o tempo todo, de olhos abertos ou fechados.

27 de novembro de 2009

A linha entre eu e o outro

Eu. Ele. Você. Ela. Nós. Eles. Cada um, um. Um, o mesmo um, a vida toda. Uma vida que as vezes parece ainda não ser suficiente para o desafio de conhecer esse um, saber até onde vai, o que esperar. Pior ainda quando esse um ainda se confunde com o outro. Há quem ignore o exercício diário de tentar enxergar essa linha divisória, que não se vê, mas se sente e as vezes, até faz doer. Dói pela invasão desnecessária e cega. Dói pelas feridas das expectativas, sementes que a gente mesmo planta, rega e faz nascer plantas até que coloridas mas ordinárias e venenosas que furam, corroem. Dói pela raiva desinformada e mimada. Dói pelo excesso e ao mesmo tempo ausência do "eu". Ah, mas o dia que se aprende a se ver o eu verdadeiro, é quando é possível ver o outro, mas ver enxergando mesmo. Enxergando o certo, o errado, o bom, o ruim, o compreensível, as razões, as possibilidades, as limitações. Daí, já não existem mais fantasmas, nem interrogações, nem miragens, é o real e a verdade fazendo tudo ficar mais nítido, simples e diria até, melhor. Nem tudo é pessoal, nem tudo é você ou com você. São várias histórias e motivos criando o outro, que é outro, diferente de você. Você é você, o outro, é o outro. Cada um com o seu algo especial, algo que quando se tem tempo e olhos para descobrir, acaba sendo a maior descoberta, cada um com sua maravilha do lado de dentro. E quando cai a ficha, ler o outro acaba se tornando um modo de vida intrigantemente fascinante. Vale tentar, faz bem pra você e para o outro, ha.

13 de novembro de 2009

Obrigada a você, nessa data querida!

Poderia ser um dia qualquer. Mas não é. É o seu dia. Dia que tudo é colocado a prova. Dia que você se coloca na balança. Dia que muitas memórias vem e não vão, ficam. Dia que pessoas que nunca foram esquecidas, são lembradas novamente. Dia que parece durar um ano todo. Dia com gosto conhecido mas com cheiro de novo. Um dia que parece ser egoísta mas que ao mesmo tempo coloca você fora de contexto, capaz de analisar tudo como se você estivesse assistindo, mesmo sendo a pessoa que está mais dentro de tudo. Dia que só te ensina que a vida é realmente como uma caixa de chocolate, porque nunca se sabe o que vai encontrar. Você pensa que vai comemorar de um jeito e acaba comemorando de outro muito melhor, contrariando todas as previsões do tal "inferno astral". E quando você vê, como um presente, você está de volta ao primeiro lugar que te fez crescer, mesmo sendo um lugar que todo mundo volta a ser criança. As pessoas que estão acompanhando de perto, ou até mesmo de longe, não poderiam ser mais especiais. E no meio de tanta mágica que esse lugar traz, só tenho a agredecer a Deus por tudo, porque cada dia só tenho mais motivos pra acreditar que Ele existe, sim. Agradecer por ter feito a minha vida sempre ter gosto de brigadeiro, com trilha sonora feita com as melhores notas e por trazer pessoas escolhidas a dedo pra cada momento. Se eu pudesse ao invés de receber parabéns, eu queria é dar presentes e abraços, olhando nos olhos e agradecendo um por um, você e você e vocês. Se eu vou dormir feliz hoje é porque eu sei o que eu conquistei. Se eu sou alguém hoje é porque sei que não estou sozinha. Se eu posso ficar sozinha é porque sei quem está ao meu lado. Se eu continuo tendo fé e esperança é porque tudo o que eu vivi me ensinou que vale a pena. E assim eu continuo assim, no meu tempo, vivendo tudo o que tem pela frente, sem deixar nada e ninguém para trás.

3 de novembro de 2009

Convite indispensável

Falar "estar só" faz até parecer que estar sozinho é estar incompleto e pouco, como se fosse "só isso". Mas apesar de muitos temerem isso, eu confesso que prefiro a versão "só você". Cabe tanta coisa dentro de "só você". É tanta coisa que junto faz você se reconhecer o suficiente para não ser mais um estranho para você mesmo. É tanta coisa que te ensina que você pode ser completo, você com você. É tanta coisa que, quando você acha que não precisa de mais ninguém, é que fica claro que ao se tornar completo é quando se dá mais valor aos suplementos. Suplementos que você até poderia viveria sem, mas que você não quer. Suplementos em forma de pessoas. Aquelas pessoas, Pessoas mesmo, as mais especiais. Aquelas que fazem você ficar com raiva do tempo que passa rápido demais. Aquelas que você tem vontade de levar no bolso. Aquelas que quando você pensa, o coração se abraça. Aquelas que fazem a vida ter trilha sonora e o céu ganhar cor e gosto. Quando se está sozinho é que se vê que nunca se está realmente sozinho. Porque esses suplementos sempre vão estar por perto, dançando dentro das fotos e filmes da vida. Um show que só você consegue ver. Conquistas que só você sabe o valor. Somos sozinhos mas também somos anfitriões dessa festa imaginária constante que nunca vai ter hora para acabar, como todas as festas deveriam ser.

29 de outubro de 2009

"I'm looking for a complication"

Sim, não. Agora, depois. Ser, não ser. Aqui, lá. Seria tão bom se o mundo, o tempo, a vida parasse até se chegar a alguma conclusão. Aquela conclusão que não precisa e nem deve, ser a mais fácil ou a mais comum. Aquela que fala com eco lá dentro. Aquela que não poderia ser diferente. Aquela que é a essência do que se é e mostra o que se quer ser. Aquela que vai dar trabalho mas que vai trazer aquele sorriso, aquele mesmo. Pena que nada para, nem mesmo você e seus ventos internos mais conhecidos como sentimentos. E no meio desse fenômeno meteorológico, que se fosse nos EUA ganharia até nome, se sobe mais um degrau. Um dos mais altos e difícieis, que ainda não se consegue ver o fim, nem o quão forte se fica depois dele.

27 de outubro de 2009

"The world spins madly on"

Existem muitas meias verdades por aí. Aquelas que a gente quer acreditar, aquelas que nos fazem acreditar. Mas também existem as verdades verdadeiras. Verdades que nunca mudam. Nunca mesmo. E de tanto que não mudam, viram até clichês. Clichês que não deixam de ser verdade. É verdade que tudo o que se planta, colhe. É verdade que tudo o que vai, volta. É verdade que o mundo dá voltas. É verdade que tudo tem seu tempo. É verdade que nunca deve se dizer nunca. É verdade que Deus escreve certo por linhas tortas (afinal, o que nós sabemos sobre o que seria torto ou não?). É verdade que por mais que se viva com toda intensidade, pensando em cada passo, se conhecendo e se reconhecendo a cada segundo, tem coisas que não sabemos explicar. E assim deve ser, simplesmente.

"We all go round and round, partners are lost and found...all i know is, we are all in a dance"

22 de outubro de 2009

Take time to realize

Nós e a mania convenientemente incoveniente de rotular tudo. Pra que? Para nos sentirmos mais confortáveis? Como? Se na verdade, a vida é uma grande indefinição definida, como ela deve ser. Para fugir disso, inventamos. Inventamos um jeito definir o tempo, que por sua natureza, não tem começo nem fim. Inventamos padrões para expressar sentimentos, que por sua natureza não seguem regras. Inventamos imagens dos outros porque dá menos trabalho do que querer realmente conhecer o outro. Inventamos as comparacões, quando por natureza, somos feitos para ser diferentes, essa é a graça. Perceber tudo isso não é revolta. É simplesmente a vontade de querer parar de inventar e realmente ver que somos o que somos, queremos o que queremos, sonhamos o que sonhamos, cada um de um jeito. Por que não parar de rotular o lado de fora e começar a conhecer e reconhecer o lado de dentro? Só assim fica fácil entender que separados podemos formar um conjunto de verdade.

19 de outubro de 2009

"Beautiful mess inside"

Quem diria que até sonhos precisam de limpeza e arrumação?! Abandonar sonhos, para alguns pode até ser covardia, mas na verdade, é um ato de coragem. Um processo que às vezes se faz necessário. Mas dá trabalho e dói, dói como toda limpeza profunda, dói como toda dor de crescimento. O tempo de tirar tudo de dentro e arrumar, não tem hora marcada para acabar. E em meio a vários nascer e por-do-sol, é preciso aprender. Sempre, aprender. Aprender a esperar. Aprender a ter fé. Aprender a ouvir discursos silenciosos. Aprender a ter paciência, para que não sobre nada o que não é pra ficar. Aprender que tudo tem seu tempo. Aprender a ver quais sonhos já perderam a validade. Aprender a dar espaço aos novos sonhos que são muito maiores do que se pode imaginar. Cada sonho que se desprende de dentro é uma lágrima que cai. Uma lágrima diferente, uma mistura de tristeza mas também de alívio e de esperança do novo que está por vir, tudo carregado de lembranças, agradecimentos, aprendizado e até trilha sonora. Mas o melhor é aprender que não é preciso carregar essa mochila de sonhos sozinha, porque do mesmo Lugar que vieram os sonhos é de onde vem a força para continuar. E assim se continua, sendo o que se é mas se tornando o que se precisa ser.

14 de outubro de 2009

"People have the right to fly"

Voar. Liberdade. Felicidade. Três sonhos que muitos chamariam de ilusão ou utopia. Besteira. Eles podem ser tão reais quanto o vento batendo no rosto. Dizem que liberdade é a possibilidade de exprimir-se de acordo com sua vontade, consciência e natureza. Possibilidade! Palavra mágica. Mágica não, libertadora. Deixa algo tão abstrato, paupável. Paupável e presente, a felicidade e a liberdade podem estar em você, em mim, ali, aqui, lá, agora, ontem, sempre, em todos os mini momentos reais de cada dia. Enxergá-las ou não, só depende dos olhos. Olhos que se estiverem abertos, abertos mesmo, conseguem levantar voo. Sim, descobri: se voa com os olhos. Olhos que já foram cegos e fechados um dia, mas que agora, voam. Voam mesmo sem conseguir enxergar o que tem no final, porque são olhos de fé, corajosos e fortes. Para voar é preciso abandonar o pronto, não rotular o jeito certo de voar, não é só com asas que se voa. É possível voar quando se livra do peso de pré-ocupações que só fazem pisar fundo e em falso. É possível voar quando você se sente você, onde e com quem você estiver. É possível voar quando se decide que ainda há tempo de mudar, mesmo quando é aquele tipo de mudança silenciosa que, assim como o tempo, só se percebe quando já passou. É possível voar quando uma música ilumina cada canto escondido seu. É possível voar quando se tem Alguém do lado sempre, mesmo quando não tiver ninguém por perto. Exercite seus olhos, chegou a hora de você voar.

10 de outubro de 2009

Sei lá!

Branco
Silêncio
Difícil juntar as palavras
A essência está aqui
O resto? não sei! se souber, me avisa?!
A certeza?
Mudança!
A asa está batendo livre
Só não se sabe para que lado
Vários destinos desenhados a lápis
Rasbica, apaga, rabisca, apaga...
Ai. Dói.
Quem diria?!
Sou humana também...

30 de setembro de 2009

Shake it!

Liquidificador com ingredientes escolhidos a dedo, a risadas, a filosofias, a trabalho, a crescimento. Uma vez dentro e não se é como antes. Você fica com um pouco do outro, o outro fica com um pouco de você. Uma vez dentro, nunca mais fora. Se vai, parece que não foi. Se fica, parece que foi junto. E assim, a vida nunca fica parada, está sempre em movimento. Movimento que leva e traz no tempo certo. E assim como o último sino que tocou na hora "errada", fica um "até mais" com cara de "oi", só para sair do padrão, do jeito que tem que ser. O bom das lembranças serem misturadas e aleatórias, é que não precisa ter a última.

29 de setembro de 2009

“Fico com a pureza da resposta das crianças"



Perguntaram para um grupo de crianças: What does love mean?

‘When you love somebody, your eyelashes go up and down and little stars come out of you.’
Karen - age 7


‘Love is when you go out to eat and give somebody most of your French fries without making them give you any of theirs.’
Chrissy - age 6

‘Love is what makes you smile when you’re tired..’
Terri - age 4

‘Love is like a little old woman and a little old man who are still friends even after they know each other so well.’
Tommy - age 6

‘During my piano recital, I was on a stage and I was scared. I looked at all the people watching me and saw my daddy waving and smiling.He was the only one doing that. I wasn’t scared anymore.’
Cindy - age 8


A four year old child whose next door neighbor was an elderly gentleman who had recently lost his wife. Upon seeing the man cry, the little boy went into the old gentleman’s yard, climbed onto his lap, and just sat there. When his Mother asked what he had said to the neighbor, the little boy said, ‘Nothing, I just helped him cry’

Mais filosofia do sobrinho filósofo, filósofo sobrinho

"Sobre sonhos

Se você imagina um sonho dando errado, ele deixa de ser sonho. Porque no contexto -sonho- não existem palavras como falha ou erro. A gente se faz de "cego", para alimentar o sonho e fazer ele crescer e dar certo. E o mais legal é quando ele fica grande e "impossível". Sim, porque para ser sonho tem que ser algo grande e"impossível", que para você, não vai dar errado. Quem tem sonho de abrir uma gaveta? Isso seria muito fácil. E quanto mais "impossível" ele é, mais forte ele fica dentro de você. Sonho tem que ser algo que quase ninguém acredita que vai dar certo, só você. Porque se só você acredita, você entra de cabeça e roupa até dar certo. Tem pessoas que vão atrás do sonho a vida toda, mas só aquelas que depositaram mais confiança conseguem. Quando eu falo que quero ser piloto de F1 as pessoas me olham com uma cara do tipo "por que você não vai para a Lua também?". Mas eu não me importo. Eu não vejo isso dando errado, porque esse, é o meu sonho." (Bruno Bonifacio)


(Ai que orgulho desse meu filósofo que só tem 14 anos, mas já sabe muito da vida)

28 de setembro de 2009

"To infinity and beyond"

Não esquece de respirar. Respira fundo, até o final. Respira e puxa tudo o que você precisar pro lado de dentro. Respira e encaixa tudo no lugar. A coragem de um lado, o medo do outro, o amor no meio e a fé em cima. Pode fechar o olho um pouco, mas abre logo. Abre bem aberto, para enxergar o que você nunca viu antes. O mundo pode até parecer grande demais, mas calma, você também cresceu. Se você está sem chão, não é porque você está perdido, mas sim, porque chegou a hora de voar.

23 de setembro de 2009

Lost and found

Um furacão. Daqueles que não destrói, mas tira tudo do lugar. Muda o ponto de vista. Reforça algumas certezas e leva outras embora. Só não consegue arrancar a fé, o que faz tudo ainda ter sentido. O que foi, está guardado. O que é, está na sua frente. O que será, será. É o que dizem.

Sob medida

O real é tão envolvente quanto uma música que você nunca tinha ouvido antes e nem sabia que existia ou que precisava dela. Não importa se só vai tocar uma vez. O que se sentiu, simples e profundamente, fez você fazer as pazes com o tempo, do jeito que tinha que ser.

14 de setembro de 2009

Sem guarda-chuva

A vida te convida a crescer. A vida te convida a mudar. Todo dia. Sempre. Sempre há tempo, para quem sabe colocar o tempo no seu lugar. Se o vai dar x ou y, não importa. O que não se pode é ignorar essa voz que grita com eco, só pra você. É o sonho se transformando em algo tão concreto quanto uma nuvem que chove em cima da sua cabeça. Uma chuvinha que seja, que limpa um caminho que estava ali já, difícil de ver. Agora, é só a coragem não se assustar com o trovão.

12 de setembro de 2009

"It came to change us all for good"

Uma tentativa de poesia improvisada com a mistura das letras das músicas da banda viciante do momento! Fanfarlo: http://www.fanfarlo.com/ É inspiração transbordante. Trilha sonora ideal para o que for! (principalmente por d0 sol, obviamente!)

It came to change us all for good

"I stopped racing years ago
I’ve got my friends safe in a cocoon
Your dreams will become part of the future and coincide with the past
And if we’re kicking up a fuss, it’s only cause we must
Let the world begin to understand
Look up, open the clouds
And now we want the coal?
Confusing times
Try to be patient
Cause inside, behind every curtain
They count the minutes, they count the days
If you look at the horizon there is always something ducking out of sight
But we can still afford to not make sense at all
We’ll tear it down
We’ll hold the truth by the neck
And wear it like flag
If you’ve got flags to wear
You should be careful what you sell
And now we’re waiting
And now we’re stranded
And now we’re aching
And now we’re all waiting…
You’ve got answers
In everyone is electric circuits
And that’s all there is
When you’re still midway
It’s not too late"
(lyrics by Fanfarlo)

11 de setembro de 2009

Queria ser astrônoma!


A panoramic view of a colorful assortment of 100,000 stars residing in the crowded core of a giant star cluster.

7 de setembro de 2009

Who's afraid of the big bad wolf?

Dizem que a melhor maneira de se livrar de um medo é enfrentado o próprio. Ali, cara a cara. Sentindo o coração bater alto, muito alto, tão alto ao ponto de talvez conseguir acordar a coragem que toda vez, finge dormir. É você ali, respirando rápido, sugando tudo o que se pode para tentar ficar maior do que está na sua frente. O seu maior medo. Não, não é o medo de morrer. Mas sim o medo do NAO. "Não"? Sim, não viver, não aproveitar, não desejar, não descobrir, não amar, não sonhar, não realizar, não apreciar, não sentir, não acreditar, não compartilhar, não ser inspirado, não inspirar, não ser feliz, não fazer feliz, não dar tempo, não ter tempo. Nessa hora, que o olho fica embaçado, só se consegue ver duas opções. Ou você paraliza, se fecha e se entrega, só vivendo com o gosto azedo dos arrependimentos. Ou com a mesma intensidade que se teme, você recomeça tudo. Tudo mesmo. Com o mesmo entusiasmo do sol que se põe e dali a algumas horas vai nascer lindo e brilhante, de novo, de novo e de novo. Às vezes para deixar de existir, o medo só precisa ser iluminado, seja pelo sol ou pela lua, você escolhe, porque no final, a luz vem do mesmo lugar.


ps: esse é aquele post que iria sair depois de ler o Escafandro e a borboleta. Esse é o livro do meu maior medo, o medo de viver paralisada sem poder fazer nada para mudar, só se agarrando as lembranças do que se sentiu e se viveu. Acredito sim que as palavras sejam tão poderosas quanto foram para o Jean-Dominique Bauby, elas fazem milagres, dão vida ao que parecia estar morto. Aas de coração, não quero que elas sejam o meu único meio de interação com o mundo, com a vida. Movimento contra os escafandros, já! Ou pelo menos, contra os meus escafandros...

6 de setembro de 2009

"Quando só restam palavras, nenhuma palavra é demais"

"Quem lê esse livro volta a apaixonar-se pela vida". Nem sei se algum dia deixei de estar apaixonada pela vida, mas posso dizer que "O escafandro e a borboleta", um livro curto e profundo, me marcou com lágrimas, com um tapa na cara e uma injeção dolorida de inspiração.

Acho que logo mais vou me sentir inspirada para criar minhas próprias palavras inspiradas nessa leitura, mas é fato, o momento agora é de digestão, digestão pesada, mas que vai fazer bem...

Nem vou falar muito sobre ele, porque assim como um filme, só se sente quando você mesmo lê. São algumas horas que fazem valer uma vida.

Vou só ressaltar algumas palavras que pularam na minha frente, se alternando com as lágrimas.

"há tanta coisa para fazer, pode-se voar pelo espaço ou pelo tempo"

"me dissolvo na paisagem"

"as palavras, de mãos dadas atravessam o quarto, giram em torno da cama , percorrem a janela, serpeiam sobre a parede, vão até a porta e saem para dar uma volta"

"eu cultivo a arte de cozinhar lembranças a fogo lento. Posso sentar-me a mesa a qualquer hora, sem etiqueta"

"tanto quanto de respirar, sinto a necessidade de emocionar-me, amar e admirar"

3 de setembro de 2009

"When i was a boy i couldn't stand the silence, but i am not a boy anymore"

Silêncio. Um momento. Tudo e nada. Acontece enquanto precisa acontecer. Um intervalo. Uma respiração. O "pics" para os pensamentos entrarem no lugar e as palavras não perderem o seu valor. Para uns, angustiante e incômodo. Para outros, tão confortável quanto um céu estrelado. O silêncio fala. Fala o que a gente precisa ouvir. Precisa mas não consegue, porque estamos ocupados demais pensando o que dizer ou falando demais sem pensar. No silêncio cabe tudo o que se precisa e nada mais. No silêncio você se perde para se achar. O silêncio confunde para solucionar. O silêncio faz aparecer o que estava escondido e faz ir embora o que está sobrando. O silêncio define o que se é sem precisar dizer nada, apenas sendo, é o que é, não é o que não é. E quando ele vai embora, pode ter certeza que nada será como antes, porque será simplesmente, melhor.


ps: obrigada Tassi!

How would you define a moment?

Vídeo perfeito! como disse o update perca/ganhe 4 minutos!

Para quem entende o que ele quer dizer!

http://www.youtube.com/watch?v=jNVPalNZD_I

"It is all about what others receive"

Parece que o meu sonho de compor uma música um dia, foi parte realizado. Estou quase chorando com as combinações que conseguiram criar nesse site: http://inbflat.net/

Confesso que tem horas que tenho bode da tecnologia, de como ela criou uma obrigação da gente ter que saber de tudo, o tempo todo. Mas são momentos como esse que fazem ver que tudo tem seu lado bom, basta a gente saber enxergar. E para completar, em um dos quadradinhos tem um texto falado que traduz tudo o que eu senti, lindo texto, mais real e atual, impossível.

"she closes the lid
and unplugs the device
no bigger than her thumb
from the computer.


My lifes work, she says. But, it isnt her lifes work.

You see, we store information like an Escher painting.
It shouldnt all fit in there. But, it does.
And every day we manage to fit more and more into smaller and smaller spaces until one day
she says,
we will be able to fit all the information the world has
everything that everyone knows and believes and dreams
into nothing.

It will all be there. Stored and filed.
Tagged with any keywords you might imagine.

Our hard drives will be thin air.

They will make nanobots look like elephants.
And elephants will be in there too. Tagged. Accessible with search terms
like grey, ivory,
and the largest land dwelling mammal

We will process away at nothing and understand everything.
We will think of a word and the information will slip in, not through our ears or eyes
but straight thorough our skin. Information will breathe in and out of us,
permeate our skin.

Our knowing will be as deep as it is wide.
You see our work here is to learn so much,

to be so full of knowing,
that all there is left to do is unlearn.

Humanity must get to a point where we let go.
We leave the useless ideas and the spent ideologies in the recycle bin.
like an adolescent brain shedding neurons.
like a snake slithering from its old skin.
like an old man who has come to understand so well the point where reality meets the intangible that he is able to decide which breath will be his last. And, he will enjoy that breath more than any that he has taken in his entire life.

And, her lifes work is more than a four meg flash drive.

My lifes work, she says, is the impact that this has.

This is not about what I produce. It is all about what others receive"

1 de setembro de 2009

Para ignorar o tempo!

Setembro. E a angústia do calendário avançar vem tirar sarro e amendontrar a gente.

Para esquecer do tempo e fazer ele perder o poder e ganhar mais cores e sorrisos: www.learnsomethingeveryday.co.uk

Aqui cabe sonho de todos os tipos

http://www.youtube.com/watch?v=WDq_ewUxds4&feature=related


"Nem toda palavra é
Aquilo que o dicionário diz
Nem todo pedaço de pedra
Se parece com tijolo ou com pedra de giz
Avião parece passarinho
Que não sabe bater asa
Passarinho voando longe
Parece borboleta que fugiu de casa
Borboleta parece flor
Que o vento tirou pra dançar
Flor parece a gente
Pois somos semente do que ainda virá
A gente parece formiga
Lá de cima do avião
O céu parece um chão de areia
Parece descanso pra minha oração
A nuvem parece fumaça
Tem gente que acha que ela é algodão
Algodão as vezes é doce
Mas as vezes não doce não
Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Ah e o mundo é perfeito
Hum e o mundo é perfeito
E o mundo é perfeito
Eu não pareço meu pai
Nem pareço com meu irmão
Sei que toda mãe é santa
Mas a incerteza traz inspiração
Tem beijo que parece mordida
Tem mordida que parece carinho
Tem carinho que parece briga
Tem briga que aparece pra trazer sorriso
Tem sorriso que parece choro
Tem choro que é por alegria
Tem dia que parece noite
E a tristeza parece poesia
Tem motivo pra viver de novo
Tem o novo que quer ter motivo
Tem aquele que parece feio
Mas o coração nos diz que é o mais bonito
Descobrir o verdadeiro sentido das coisas
é querer saber demais
Querer saber demais
Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Ah e o mundo é perfeito
Mas o mundo é perfeito
O mundo é perfeito..."

"Pensei em mil palavras, nenhuma das palavras coube em mim"

Estou em um momento sem palavras. Só posso dizer que eu me perdi para me achar nessa música e nesses textos...

Sem palavras - Moveis Coloniais de Acaju

"Eu sei que nada tenho a dizer
Seria tudo muito melhor
Se a música falasse por si só
Dá raiva da vida
Nada existe sem classificar
Penso, tento
Achar palavras pro meu sentimento
Tanto é pouco, nada diz
Não é triste, nem feliz
Mesmo sendo
Um pranto, um choro ou qualquer lamento
Nada importa, tanto faz
Se é pra sempre ou nunca mais
Pensei em mil palavras, e enfim
Nenhuma das palavras coube em mim
Não vejo saída
Como vou dizer sem me calar?
Diria mudo tudo o que faz
Minha vida andar de frente para trás
Uma frase perdida
Num discurso feito de olhar"



Deixe-se sangrar. Clarice. http://gizelda-desassossego.blogspot.com/2009/08/deixe-se-sangrar.html

A felicidade são momentos. http://gizelda-desassossego.blogspot.com/2009/08/felicidade-sao-momentos.html

Talvez, na primaveira. http://gizelda-desassossego.blogspot.com/2009/08/talvez-na-primavera.html

30 de agosto de 2009

"Keep me where the light is"

Alguém me definiu bem: "tem gente que fuma, tem gente que bebe, tem gente que bate a cabeça no armário, tem gente que rói as unhas, você olha pro céu".

Não sei de onde vem essa fascinação. Só sei que é um imã que me faz olhar para cima, não importando se é de noite ou de dia. Só sei que olhar para cima é tudo o que eu preciso para saber que a vida é muito simples, tão básica quanto a matemática que depois de um dia vem outro. Olhar para cima é tudo o que eu preciso para saber que a gente pode se sentir completo mesmo sendo só você e você mesmo ali. Olhar para cima é tudo o que eu preciso para esquecer e lembrar de tudo. Olhar para cima é tudo o que eu preciso para me sentir inspirada. E no movimento do Sol se pondo ou da Lua se movimentando, a vida vai entrando no lugar de novo.

A queda de um muro

Questão de costume. Tantos anos, muitos mesmo, só alimentando o coração e a cabeça, foi fácil esquecer do resto. Foi fácil julgar os outros que só pensam naquilo, simplesmente porque se ignorou que todo esse aquilo existe, é de carne e osso. Agora mesmo atrasadinha, ficou fácil é de se sentir esse desejo que ficou apagado e escondido, acalentado como ouvi por aí. É um desejo real e avassalador (sempre gostei dessa palavra), que nunca apareceu antes. Não sei se vai ser mais que um desejo, mas só de dele estar saindo, já está mudando tudo aqui dentro. Porque é do tipo que não busca sentimento, mas sim o sentir, palpável e quente, simples e natural. Que por aqui nunca foi natural. Sem príncipes chatos e sem graça nessa história. Agora não é tempo de construir, mas sim de derrubar essa torre que prendeu tudo isso por tanto tempo.

29 de agosto de 2009

"Beautiful mess inside"

Descobri, de novo, que sou movida por música e enquanto tiver ela por perto, estarei bem. Descobri que além do sonho de escrever um livro, também quero fazer uma música. Uma música que nem precisa ser famosa, é só para ficar feliz que algo tão mágico pode sair de mim. Descobri que não canso de sentir, seja o que for. Descobri que olhar sua mãe sentindo uma música que fala com ela, é uma das sensações mais inspiradoras. Descobri que um balão azul pode ser realmente muito lindo quando se está com as pessoas certas dentro. Descobri que as folhas verdes das árvores ficam amarelas quando o sol bate nelas. Descobri que a combinação do sol com o vento no rosto, é melhor do que strogonoff com batata palha. Descobri que a gente não para de descobrir.

"Eu vivo sempre no mundo da lua"

Show do Guilherme Arantes. Fui mais acompanhar minha irmã,minha mãe e o pessoal, mas , surpresa! Realmente expectativa não serve para nada, porque quanto menos se tem, melhor vai ser. Um show gostoso, uma overdose de sentimento, de música, de poesia...sai mais fã do que entrei, confesso, simplesmente porque ele mostrou que um show não precisa ser pirotécnico para te deixar com o coração transbordando. Até Tom Jobim ele tocou um pouquinho, só porque eu precisava.

"Redescobrir, seu lugar
Pra retornar
E enfrentar o dia-a-dia
Reaprender, a sonhar
Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você
Responde sim
A sua imaginação
A arte de sorrir
Cada vez que o mundo diz não
Você verá
Que a emoção começa agora
Agora é brincar de viver
E eu desejo amar
A todos que eu cruzar
Pelo meu caminho
Como eu sou feliz
Eu quero ver feliz
Quem andar comigo
Vem
Agora é brincar de viver"

"Todo sofrimento é pequeno"

"Porque sou aventureiro
Desde o meu primeiro passo
Pro infinito
Pega carona nessa cauda de cometa
Ver a Via-Lactea, estrada tão bonita
Brincar de esconde-esconde numa nebulosa"

"Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando, nem sempre perdendo"

"E é tão gostoso ter
Os pés no chão e ver
Que o melhor da vida
Vai começar"

"Se você
Tentou
E não aconteceu
Valeu!
Infelizmente nem tudo é
Exatamente como a gente quer
As pessoas
Sempre têm
Chance de jogar
De novo
E errar
Ver o que convém
Deixa chover
Deixa a chuva molhar
Dentro do peito tem um fogo ardendo
Que nunca vai se apagar"

"
Essa mania de possuir
mata em nome do amor
fere o espaço mágico da criação
o sentimento à flor da pele
Essa vontade
de engolir o mundo
ter tudo nas mãos
logo pode trazer outra desilusão
coração que não descansa.
quando a gente gosta mesmo
não quer mudar a pessoa
Quantos vivem de mentiras
dando a impressão
que a sua certeza é a verdadeira
quando a gente enxerga as coisas
não tapa o sol...
então, me entenda,
esse é o meu jeito."

28 de agosto de 2009

911

Pensar e pensar. É tanto pensamento junto, todos em alta velocidade, tão rápido mesmo, que as vezes nem dá para anotar a placa. A pressão interna de conseguir pescar um pensamento que se torne a ideia genial, gera aquela angustia daquele pesadelo que as paredes vão chegando perto e você não tem voz para gritar. Pensar cansa...

26 de agosto de 2009

Qual é o seu lugar?

A melhor placa que eu já vi na vida!

You can hold my hand

E quando as lágrimas que caem não são suas mas sim de alguém que não poderia ser mais especial? Você vê os olhos ficando embaçados, o rosto sendo molhado e a única coisa que se pode fazer é dar um abraço bem apertado, segurar a mão, escutar a dor, soltar algumas palavras que por mais curtas que sejam tentam mostrar o quanto você se importa. Só isso? Não, eu queria fazer mais! Queria tirar de dentro o que está fazendo sofrer, com todo cuidado do mundo, só para não doer mais nada. Queria fazer mais do que "estar lá". Queria recolher essas lágrimas, uma por uma e jogar carinhosamente na cara, ou no coração, de quem precisa acordar e começar a enxergar novamente. O que dói, dói em mim também, em outras proporções, mas dói. Mas como toda dor, vai passar e o que fica é maior do que qualquer cicatriz. Fica a certeza de que tudo tem um propósito. Fica a força para esse tempo de crescer. Fica a alegria de ter uma companhia verdadeira. Fica o Amor incondicional que é a razão de tudo. E esse Amor, transborda de um jeito que é impossível resistir em pegar uma bóia colorida, deitar e esperar tranquilamente nele.

25 de agosto de 2009

I gotta feeling

Já percebeu que as mudanças ficam só na maciota? Elas vão começando “como uma idéia que existe na cabeça e não tem a menor pretensão de acontecer”. Aí do nada, quando menos se percebe, elas simplesmente dão um susto e fica impossível ser como era antes. Para as mudanças não existe padrão, nem hora certa. Elas acontecem quando tem que acontecer, quando está impossível de esconder, quando já está saindo tudo para fora, quando se está pronto para se arriscar na nova aventura, seja ela qual for. Aventura que instiga uma mistura explosiva de sentimentos (coragem, animação, alegria, tranquilidade, confusão, indecisão e o que mais couber) que fazem o friozinho na barriga, já não estar mais só na barriga, mas no corpo todo. Tudo isso faz quebrar o botão da cócega interna e ela não para até segunda ordem. E como em todo filme, mesmo que seja o filme da vida, para a mudança ser oficial sempre é preciso um ápice. O momento, com trilha sonora e tudo. São instantes de um tempo que valem por uma vida toda, sem expectativas, sem planos, sem alardes. É só o choque da transformação da imaginação virando realidade. Não importa o que foi, o que será, só o que é. É finalmente sentir a reação devastadora daquela sensação que sempre se imaginou como seria. O bom das mudanças é que mesmo que se trave, que dê uma pane, não existe volta, só se pode ir para frente, rumo ao desconhecido. Assim que tem que ser, sempre.

Para começar a terça com inspiração!

Filósofo sobrinho, sobrinho filósofo

Mais um texto do meu filósofo sobrinho:

"Mundo Letal

Sinto saudades dos tempos em que a gente era pequeno, quando não entendíamos nada desse mundo.
Aí a gente vai crescendo, e vai aprendendo. E ficamos cada vez mais curiosos, querendo aprender como funciona e o que acontece nesse mundo.
Aí a gente vai aprendendo e ve que nao é aquilo que a gente esperava.
E quanto mais a gente aprende, mais sentimos vontade de parar.
Mas a informação chega cada vez mais rapido,
E é cada vez mais letal.
Quando a gente quer parar e esquecer tudo,
tarde demais.
Somos mais um no mundo." Bruno Bonifacio

24 de agosto de 2009

"Abandono o que é pronto e digo adeus"

Quando alguma "coisa" faz torcer por dentro, solte-a no ar ou onde estiver mais perto. Se estiver difícil para sair, se segurando no batente da porta, empurre. Empurre com força mesmo. Porque quando essa "coisa" sai, do lado de fora ela perde todo sentido. Perde qualquer poder que tinha sobre você, fica sem rumo e simplesmente vai embora, desaparece. E o que fica, é só aquela sensação meio vazia, meio cheia de mais uma lição aprendida, apesar de tudo. Mas não se engane, você pode até trancar a porta, mas alguma "coisa" sempre vai acabar entrando de novo, de fininho, até ficar grande de novo. Mas é assim, tem que ser assim. A vida é feita do movimento de entrada e saída dessas "coisas". Mesmo porque sem elas íamos ser apenas um monte de portas trancadas e sem graça.

Trilha sonora do post: Outside - Aqualung http://www.youtube.com/watch?v=6glxsYWT7TI
"Had enough of wondering. What became of all the dreams he had? Are they out there somewhere?"
"I won't leave you on the inside. Together we can make it on the outside"


"I can’t wait to figure out what’s wrong with me, so I can say: this is the way that I used to be"

Ok. Nunca seremos perfeitos, é um fato. Assim como é fato que é sempre bom estar atento e tentar mudar e consertar o que se precisa. Ainda mais quando tem alguma coisa, alguma coisa que não se sabe o que, algum parafuso frouxo, alguma dobradiça que não fecha direito. Só se sabe que é alguma coisa que atrapalha, que sempre faz tudo parar quando se atinge uma certa velocidade a uma certa distância. Alguma coisa fora de qualquer lógica de fórmula física de força, gravidade e ∆T. Só sei que não se pode ficar tantas vezes na mão desse jeito!

23 de agosto de 2009

"As simple as it can be"

Qual é a real diferença entre o simples e o complicado? Talvez nem exista uma linha que separe o que é simples do que é complicado, porque talvez o complicado nem exista. Tudo é como é, como tem que ser. Talvez o "complicado", foi só uma fuga que a gente criou, uma desculpa esfarrapada para impedir a gente de fazer o que se quer, o que se deseja, o que precisa. É muito mais fácil achar que é complicado demais, do que ver que é tão simples e tão fácil que nem precisa de rodeios, nem ensaios, nem rascunhos. Tudo pode ser simples, tudo pode ser transparente, tudo pode ser verdadeiro, tudo pode ser intenso sem expectativas de ser eterno. Enquanto isso, o simples está lá, só esperando ser descoberto um dia.

Gabi, coloca no blog!!

Sábado frio. Mas não tão frio o suficiente para impedir que o nosso amor pelos noivos e pela família congelasse. O sítio era mágico, a entrada com árvores já deixou claro que não seria um casamento qualquer. E a vista? Teve gente que não conseguiu dar o valor a vista, mas quem prestou atenção não se arrependeu. Vista tão preciosa, que deve ter sido escolhida a dedo, era de tirar o fôlego. Estava todo mundo lá. Imprevistos de roupas aconteceram de última hora, mas tudo por amor. A espera foi maior do que se esperava, há quem disse que a noiva tinha desistido, mas quem a conhece bem sabe que ela nunca faria isso. Depois de todo mundo ter fingido se comportar chegando e sentando, começou o levanta daqui e dali e logo só podia se escutar as famosas risadas já tradicionais em qualquer encontro dessa família toda. Espera mais um pouco, o sol também fingia aparecer só para a gente não falar mal dele, espera mais um pouco, vinha o vento frio mais uma vez. Mas tudo bem, o motivo de estar ali ainda era maior do que qualquer frio "psicológico". Até que, chegou! Sim? Sim! Agora o noivo e padrinhos podiam entrar tremendo ou de emoção, ou de frio, ou de tudo junto, ao som de uma música que aqueceu o coração. E finalmente chega a noiva, linda, com seu estilo próprio, um vestido que não poderia ser mais Fê, uma produção meio italiana, meio moderna, meio clássica mas totalmente original, como a dona desses olhos verdes. Olhos verdes que foram muito bem valorizados na cerimônia, não só realçados pelas lágrimas mas por palavras de amor do Fê. Acabou? Não. Estava só começando, começando a comida, as risadas, os abraços, a música. Ai em diante, só risada. Essa sonhadora aqui, acho que estava todo mundo muito comportado, teve a idéia de fazer uma "hola" de todas as mesas, minha irmã e minha mãe logo apoiaram a já ajudaram a divulgar. Se nós 3 bebemos para precisar fazer esse tipo de coisa? Olha, só se a mistura de água com guaraná e suco fez mal. Tudo o que acontecia todo mundo contava para eu colocar no blog, blog que de repente de surpresa, virou até meio que atração da festa, alguém gritava: "Gabi, coloca isso no blog!!". E como não poderia faltar: o momento tarantela, até quem falou que não ia dançar acabou lá no meio, nessa hora o frio até foi embora, ficou sem graça de ficar porque estava todo mundo animado demais para ele, ele deixou de ser foco da atenção e depois disso, foi todo mundo lá e a pista ferveu com os passos originais dos coreógrafos e presenças ilustres dos ordinários empolgados. A festa que começou há meses atrás , só terminou a noite. Terminou com o meu sobrinho chegando de macacão da sua corrida de kart com o troféu de primeiro lugar e o nosso coração pulando ainda mais de alegria. Terminou com motivos de sobra para comemorar. Terminou com abraços apertados, palavras sinceras, lágrimas nos olhos e a última dança na pista, porque ninguém é de ferro. E foi isso, mais uma vez a família e amigos estavam lá honrando a essência: não importa o que aconteça, o que importa é que estamos juntos, no frio, no vento, no amor. Situações extremas como essa deixam claro qual é o verdadeiro motivo de querer comemorar o casamento, é só para mais uma vez ter a certeza de que não se está sozinho, de que ainda vale a pena acreditar no valor da família e do amor, mesmo em um mundo que insiste em bater a cabeça em coisas vazias. E só para não esquecer: Iamo, iamo, iamo, iamo, iamo, Iamo, iamo, iamo, iamo, , Funiculí, funiculá. Funiculí, funiculáááááá.....


21 de agosto de 2009

"Palavras e palavras se perderam no ar"

Vou me trair. Confesso. Tem horas realmente que palavras são desnecessárias, redundantes, tentando repetir o que já foi dito. Esse vídeo cabe nesse caso. Viciei nele como um livro que se devora em menos de uma semana. Talvez porque com cores, sentimento e trilha ele mostra o que eu sou ou o que eu quero ser nessa vida.

Alguns minutinhos que valem a pena: http://www.vimeo.com/4870899

Re-regret, re-rewind

Não estou pedindo muito, só queria voltar no tempo e mudar aquele minuto. É rapidinho. Vou e volto. Pode? É só para não ficar gastando outros milhões de minutos pensando naquele lá. Só para não ficar com gosto azedo de novo. Só para não ficar voltando a cena, de novo, de novo e de novo, até furar o disco. Só para não sentir de novo o vazio de algo que nem chegou a existir, porque esse é o pior dos vazios, é o verdadeiro vazio, na verdade. Só para diminuir um pouco esse "bom-senso" que as vezes nem é tão bom assim. Só espero que algum dia essa sensação de "ai que burro" fique só naquele episódio do Chaves e não na narração das lembranças.

18 de agosto de 2009

Mi piace!!

Eh-eh. La nostra famiglia é sempre cosi. É tutti um bando de “ordinário”. Ordinário? Sim. Somos ordinários porque conseguimos reunir todos aqueles que sempre marcam presença nos encontros, são os primeiros a chegar e os últimos a ir embora, porque sabem que quem está ausente, vira assunto principal. Porque a gente nem precisa beber para ficar bêbado, tem gente que bebe, mas as figurinhas carimbadas: zero de álcool. Porque quando estamos juntos, o encontro mal terminou e já estamos combinando quando vai ser a próxima festa. Porque a comida nunca é proporcional, sempre é 10x mais que o necessário. Porque risadas são presença garantida assim como o tupperware com a comida que sobrou. Porque tudo vira motivo para comemorar, tudo mesmo. Porque um tira sarro do outro, isso quando não se tira sarro de si mesmo. Uma pizzada, um churrasco, uma feijoada, uma macarronada ou um simples almoço pode virar uma festa tão animada quanto uma Festa da Achiropita, com danças típicas e tudo. Faça sol, faça chuva. Sim, chuva! Aquela, que enche o toldo de água e deixa o chão escorregadio? Essa mesma! Pode ver, sempre vai ter alguém com as calças arregaçadas ajudando a tirar a água, dançando, cantando, fazendo piada, que seja. As vezes nem parece que somos uma família, está mais para um elenco musical/comédia improvisado. E quando o motivo do encontro é casamento então, esquece. Nem precisa de animador de festa, quem vê de fora ou tem vergonha alheia ou vai morrer de vontade de se fazer parte da festa. Somos ordinários com orgulho. Somos ordinários porque sabemos que a família são amigos que a gente já ganhou de presente sem precisar fazer nada, só nascer na família certa. Somos ordinários porque valorizamos a risada, já que ela facilita a digestão e precisamos de qualquer ajuda nessa hora. Somos ordinários porque estamos juntos, sempre, mesmo quando estamos longe. Somos ordinários porque alegria é uma herança. Somos ordinários porque por nossa causa o mundo não vai ser mais o mesmo depois desse próximo casamento. Até o casamento dos Fês!

Sobre aquele que não deixa a vida parar

Tempo
Ele mesmo
Sempre ele
Tão presente e tão ausente
Cabeça dura
Calmo quando não é para estar
Cheio de pressa quando é pra ficar
Não olha para trás
Nem faz questão de aproveitar
Sua felicidade está em passar
Não fica mais velho
Nem nos deixa mais novos
Dizem que ele sabe de tudo
Tem o maior porta-malas da categoria
Leva de tudo, o que se quer e até o que não se quer
Implacável, uma lenda, um mito, um Chuck Norris
Ninguém consegue fugir dele
Mas ele consegue fugir de todos
Nem adianta dar mais tempo ao tempo
O egoísta ficaria com o tempo todo para ele
Ele nem liga se é ignorado ou supervalorizado
O que pensam dele, nem importa
Mudar, ele não vai, nunca
A favor ou contra?
Nem ele sabe
Nasceu sem saber para onde está indo
Muito menos de onde veio
Inventaram um jeito de medir
Inútil
Tempo não se mede
Apenas se vive

"A chuva é água voando. metade caindo, metade dançando"

É, parece que o céu sabe quando vai doer, sabe quando um encontro pode beliscar bem forte . Por isso que tem dia que a chuva parece ser as lágrimas que já não se consegue mais deixar cair. E se a lágrima não cai, resta deixar a água cair do céu, em uma chuvinha que seja. Para lavar a dor e regar a esperança. A esperança que cresce dentro, no seu tempo, colorida como um arco-iris que as vezes aparece inteiro ou só um pedaçinho ou não aparece, mas é fato que existe. E quando se quer, tudo isso ao invés de sofrimento vira um espetáculo para o coração, onde o grande mote é esperar. As vezes até parece que o que se espera é ilusão. Mas nada é impossível. Nada é improvável. Tudo é imprevisível. Assim como o sol pode aparecer em um dia chuvoso, assim como a chuva pode aparecer em um dia ensolarado. A espera não é em vão. A dor cicatriza. As lágrimas mesmo secas, fazem crescer uma árvore que já é forte, já dá frutos, já tem gente que colocou balanços e se diverte nela, já tem gente descansando na sua sombra. Não se está sozinho, nem louco. É apenas mais um dia para lembrar que a vida tem um propósito e fazer o tempo ganhar mais tempo.

16 de agosto de 2009

"all starts with a wish"

O dia nasce. O dia fica, azul do céu, branco das nuvens, amarelo do sol, dourado dos raios, até o dia começar de novo depois do por-do-sol. O dia continua, com um novo nome: noite, um pouco mais escura e com novas atrações, nesse show que o céu não cansa de ser, todo dia. E lá estão. A lua e logo perto as estrelas. Pode ser uma noite cheia delas, ou quase toda. Os olhos passeiam sem rumo, sem ordem certa, fazendo o desenho que ele quer, improvisando como ele quis fazer o dia todo. E no meio desse passatempo, o pensamento pode ir além da via láctea e voltar, cheio de palavras e pedaços de Júpiter grudados. É, estrelas e os sonhos realmente tem muito a ver como o sábio grilo falante dizia. Os sonhos podem ser tão brilhantes e inspiradores quanto um punhado de estrelas. Você não precisa lembrar dos sonhos, eles podem estar no céu e vão estar lá não importa onde você esteja. Os sonhos podem estar tão perto ou tão longe quanto as estrelas, tudo depende de como se enxerga. Os sonhos e as estrelas por um momento podem ficar coberto por nuvens e até por tempestades, mas é só lembrar que atrás de tudo isso, eles estão lá brilhando, mesmo quando não se vê, mesmo quando é difícil de crer. Todo mundo tenta achar um sentido nas estrelas, mas assim como os sonhos, não existe explicação nem lógica, eles estão lá apenas para se admirar e provar que apesar de sermos muito pequenos, podemos ser bem grandes, basta acreditar.

14 de agosto de 2009

Dânce (palavra MAIS bonita no inglês britânico, a favorita)

Dançar. Quando o corpo faz poesia sem precisar de palavras. Quando ele ganha vida própria. Uma vida solta, livre, sem preocupações, sem limites, sem barreiras. Quando se dança não existe relógio, tempo, passado, futuro, expectativas, frustrações, problemas. O que existe é aquele momento, só para sentir cada nota, fazer com que a melodia, harmonia e letras entrem e se movimentem, façam ficar o que tem que ficar, chacoalham e fazem soltar o que tem que ir embora. Ritmo lento, rápido, intenso, melado, junto, separado, cheek to cheek, dança espanta homem/mulher, não importa. É quando todo mundo é igual e diferente, quando todo mundo se identifica e se destaca, tudo ao mesmo tempo, tudo ali. Na dança tudo fica mais inesquecível, mais natural, mais simples, mais verdadeiro, mais real, mais intenso, mais solto, o que há de mais puro aparece e transborda. Não importa se se sabe dançar ou não, falar assim é como separar as pessoas que sentem e as que não sentem, não existe essa divisão. Todo mundo sente, todo mundo é, e na dança fica bem claro. Para que esperar uma festa? A vida é a maior festa, todo dia, toda hora, basta ter uma música, qualquer uma. Shall we dânce?

10 de agosto de 2009

"Fly me to the moon..one day i'll go dancing in the moon.."

Ah, ela. Dizem que o homem já foi até ela. Só sei que eu vou até lá todos os dias. Porque ela está lá, sempre, não importa se o dia foi bom ou ruim. Ela nunca desaponta, ponta firme mesmo. Ela, que é cheia de fases assim como a vida e a gente. As vezes escondida, meio apagada atrás das nuvens. As vezes de lado quase indo embora. As vezes sorrindo. As vezes brilhando sozinha. As vezes com várias estrelas por perto. As vezes plena, cheia de brilho para iluminar tudo que estiver por ali. Ela representa o melhor da vida, é aquele brilho discreto que só quem presta atenção percebe, é um brilho que não é invasivo, ele está lá para quem se importar em ver. Tem vezes que você nem precisa ir até ela, ela vem até você buscar o seu brilho que pode ser tão genuíno quanto. Ela pode estar tão perto mesmo estando tão longe. Nela cabe tudo o que você quiser, queijo, coelho, sonhos, bandeiras, looney tunes, balões. As vezes é preciso mais do que apenas olhar o céu, é preciso colocar a roupa de astronauta e ir. Porque a Lua não está em um lugar só, ela e as estrelas estão em qualquer lugar que der na telha ir. Quando se olha muito para cima, se ganha o mesmo encanto e doçura da Lua, porque é de noite que escutamos o silêncio, o silêncio forte, o silêncio que fala. Como seria bom se noite fosse mais longa, a Lua estaria mais conosco. Mas as vezes quando se precisa dela, até de dia ela aparece, fica lá, dividindo espaço, só para lembrar que a gente precisa de tão pouco para se sentir feliz e vivo. Só é preciso olhar na direção certa. E quando estiver difícil de enxergar, vale a pena sair de onde você está para conseguir ver e ter aqueles segundos que fazem a vida valer a pena. Agora, pega a tua Lua e vai dormir, menina.





(- Um texto em homenagem a minha mãe, flor da madrugada assim como eu. Alguém que sempre soube valorizar a minha paixão pela Lua, na verdade, pela "blooom" como eu a chamava quando pequena. Minha mãe que me ensinou a voar usando as palavras como asas, minha mãe que me inspira a buscar o brilho da Lua, assim como a Lua é inspirada a buscar o brilho do Sol.
- E também à minha eterna dupla que já foi até a Lua comigo também.
- E também para aqueles que eu encontrei no meio do caminho que a admiram assim como eu e sabem que olhar o céu não é perda de tempo e que sonhar com ir à Lua algum dia não é uma ilusão, mas sim um jeito de se tornar uma pessoa melhor.)


trilha sonora: http://www.youtube.com/watch?v=1wNFn4pKoA0

7 de agosto de 2009

Banner Miragem???

Achei esse banner em um site! Bem que eu queria que isso fosse verdade viu??!! Imagina os benefícios???

6 de agosto de 2009

Pedaçinhos de inspiração por ai

"Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo seu destino. É apenas questão de olhar e ver. Sentir...Descobrir um jeito mais simples de ser feliz!"

"O vento toca o meu rosto, me lembrando que o tempo vai com ele
Levando em suas asas os meus dias nessa vida passageira
Minhas certezas, meus conceitos, minhas virtudes, meus defeitos, nada pode detê-lo
O tempo se vai, mas algo eu sempre guardarei
Os meus sonhos o vento não pode levar, a areia não pode enterrar
Não importa o tempo, só existe o momento de sonhar"

"Teus olhos abrem pra mim
Todos os encantos
Tudo que se quer vai lá
Acho que não vou mais
Agora tudo tanto faz
Caminho sem saber de mim
Eu vivo sem pensar
Se sou só
Ou sou mar
Mas eu conto com você
Pois enquanto eu não me resolver
Eu vou lá, eu vou lá"

"
And you know I might have just flown too far
from the floor this time
The star maker says “it ain’t so bad”
The dream maker’s gonna make you mad
The spaceman says “everybody look down
it’s all in your mind”

"I look a little bit older
With one deep breath, and one big step
I move a little bit closer, I move a little bit closer
For reasons unknown..."

"I want to roll around like a kid in the snow,
I want to re-learn what I already know,
Just let me take flight"


Os tais 20 e tantos anos

Complicado. Nem pequeno, nem adulto. Com todo tempo do mundo, mas ao mesmo tempo "se não fizer agora não faz nunca mais". É quando muita coisa termina e muitas outras podem começar. É quando se quer conquistar tudo mas ao mesmo tempo com receio de que é cedo demais. É quando se quer falar e pensar sobre tudo e também sobre o nada. É quando se transforma, se decide, se define, aprende, desaprende, esquece e lembra. Uma fase tão confusa quanto a adolescência, tão divertida quanto a infância, tão importante quanto a adulta. É quando se quer viver com intensidade, sem perder uma gota, uma pedra, uma nuvem. É quando se quer levar o mundo na bolsa e todos no coração. É quando se quer ter férias escolares de novo mas sem perder a liberdade, autonomia e responsabilidade de agora. É quando se pergunta o tempo todo: estou no lugar certo? estou com as pessoas certas? estou indo na direção certa? Escolhas, escolhas. É melhor seguir o coração ou a cabeça? O segredo é achar o equilíbrio, nem tanto lá, nem tanto cá. Já ouvi dizer que os jovens deveriam aprender a "substituir o "ou" pelo "e"". Difícil. Tanta informacão, tanta opcão e só um futuro. Bom é quando se tem Alguém no meio do caminho para confirmar as coordenadas desse mapa. Mas como toda fase, passa. Mas "enquanto o seu lobo não vem" o negócio é aproveitar toda essa definição indefinida, porque é justamente ela que dá um tempero especial nisso tudo que a gente chama de vida. Pelo menos uma coisa é certa, sozinhos não estamos. Do lado sempre vai ter alguém com as mesmas dúvidas e mesmo que não seja possível achar a resposta em um dia, fica a certeza de que um dia essa tal "resposta" vai aparecer. E quando ela vier vai ter muita gente para comemorar junto.

5 de agosto de 2009

Como você está?

Antes de responder, que tal parar para pensar e fugir do automático "estou bem e você?" Se tudo estiver bem mesmo, ótimo. Se não estiver, o que você pode fazer a respeito? E seja qual for a resposta, que tal experimentar SER feliz e não simplesmente estar feliz? "Estar" é temporário, é passageiro. É até mais difícil estar feliz, porque depende de tanta coisa que nunca nada vai ser o suficiente. Agora "ser" é mais absoluto, mais incontestável, mais duradouro. Ser feliz não é rir que nem bobo sem parar. Ser feliz é ter a certeza que se você não está rindo agora, é porque você vai rir depois. Ser feliz é se sentir bem e também dar o pedaço desse "bolo" para quem está por perto. Ser feliz é não depender de momentos, de lugares, de pessoas para você ser você, é ser você sempre e todo resto se molda do jeito que tem que ser. Ser feliz é saber ver beleza e graça até mesmo onde parece não existir, porque afinal, só parece. Ser feliz parece complicado, mas repetindo, só parece, é bem mais simples do que se imagina. "Está tudo na nossa frente, basta ligar os pontos".

3 de agosto de 2009

"Eu trago os meus sonhos para somar aos seus"

Se o tempo insiste em passar só, que passe. Se o tempo quer que eu espere, eu espero. De nada adianta ir contra aquilo que nunca vai mudar, algo que não vai ser nem mais devagar e nem mais depressa, mas sim, simplesmente na hora que tiver que ser. E enquanto espero, o tempo vai. Vai, mas parte dele fica, fica para me dar tempo para aprender, crescer, conhecer, sonhar, aprender, amar, rir, lembrar, criar...viver. Já nem sei mais direito o que estou esperando, só sei que essa espera faz eu me completar comigo mesma e com meus sonhos, sem mais, sem ninguém, só eu. E se um dia a espera acabar, tudo vai fazer sentido.

2 de agosto de 2009

onde o céu é estrelado

Estrada mágica. Poderia ficar nela a vida toda. Só não fico porque sei que o destino dela é acolhedor e inesquecível como um abraço apertado. Um abraço que traz tudo de bom que você já viveu e ainda pode viver. Dentro desse abraço cabem muitos anos, muitas risadas, muitas pessoas, muitos momentos. Tudo isso reunido em um dia, um dia que é mais um daqueles de guardar com todo cuidado perto daqueles outros todos dias. E esse dia acaba com um gostinho de quero mais, com uma vontade de querer que ele durasse mais horas, com planos de buscar mais dias como esse. Que faz você se sentir vivo, se sentir com um passado que valeu a pena, com um futuro que vai dar gosto, que faz pessoas especiais se tornarem mais especiais ainda. Mais dias como esse é o que eu quero, é o que eu desejo para todos. E para mostrar que esse lugar, esses abraços, esse dia foram reais, nada como olhar um céu que ainda tem estrelas, quase todos os dias, um céu que eu sinto falta e queria levar embora no bolso, assim como esse dia e tudo o que foi dentro dele. E aí, no final de tudo, pego a estrada mágica de novo, para um destino diferente mas que vai continuar com um céu estrelado, mesmo sem ter estrelas, só hoje.

1 de agosto de 2009

"Lights will guide you home and ignite your bones"

Quando tudo parecer confuso, quando tudo parecer sem sentido, "fuja". Não para um lugar qualquer, nem precisa ir tão longe e deixar tudo e todos para trás, radical demais, não é isso que você quer e muito menos precisa. Só é preciso ir para onde você possa escutar sua respiração, onde o sol ilumina cada cantinho, onde o vento tira a poeira e coloca tudo no lugar de novo. E no tempo de uma música tudo revive de novo, as cores vibram, o sorriso aparece no canto, o olhar ganha uma estrela e a vida volta, brilhante como sempre mas agora, com um propósito maior, não tão grande quanto Quem tem deu, mas tão especial quanto. É, "não é só criatividade, é sobre inspirar pessoas".

30 de julho de 2009

Se o pacote da tristeza só existe para ser vale-troca do kit alegria, aqui vai

Esse post é um pouco diferente dos outros, sua natureza foi de ser um comentário em um post de um blog mais do que especial. Mas quando a eterna professora pede uma coisa, a gente tem que obedecer, palavras assim que valem ouro não aparecem sempre.


Parei e começei a lembrar que ainda acredito na sinceridade, no amor, na alegria e na esperança. E isso tudo realmente está dificil de encontrar por ai. O que está acontecendo na verdade é que todo mundo abriu mão de ter esses valores lá dentro, deixaram perdido em algum canto que já não lembram mais onde é. E agora procuram isso tudo nas outras pessoas ou em lugares. Sendo que o lugar certo deles estarem, é do lado de dentro mesmo!! Cada vez mais eu chego a conclusão que para viver bem com as outras pessoas, para saber viver sem frustações, é preciso primeiro juntar todos esses valores e colocar no lugar correto. Assim você mesma se complementa e os outros vão ser o suplemento do que você já é. Para mim existem dois grandes erros nas relações humanas. 1. esperar que os outros te completem 2. querer que os outros sejam ou façam do jeito que você é ou faria . E ver tudo isso só é possível quando você marca um encontro de você com você mesma. Só para saber o que você ainda gosta, o que ainda sonha, o que não quer de jeito nenhum, que tipo de pessoas quer ter em volta. E depois desse encontro, fica muito mais fácil e dá para perceber que quando você sabe quem você é, as pessoas certas vão aparecendo no seu caminho. O que seriam essas pessoas certas? Pessoas especiais, aquelas que fazem você ver que você está no caminho certo, aquelas que te inspiram, aquelas que são inspiradas e que assim como você, fazem questão de ver tudo de um jeito diferente, fugindo da falta de tempo, da geleira que invadiu o mundo. E ai, você começa a ver que ainda existem coisas que valem a pena, começando por você.

"Manda esse treco de volta senão o bicho pega"

É isso. Se não existisse a tristeza, a angústia, a decepção e tudo o que pode vir neste pacote, não saberíamos o que é alegria, felicidade e o que mais acompanhar esse kit. O pacote da tristeza só existe para ser vale-troca do kit alegria. Uma troca que faz você sentir a diferença de quando você carrega um ou outro dentro de você. Mas o grande truque é saber que essa troca requer um movimento voluntário, não é para permanecer estático com aquilo na mão, senão a existência deles não faz sentido nenhum. E o melhor de tudo é que a alegria sempre vem em maior quantidade. E quanto mais o tempo passa, mais isso fica claro. Mesmo que a vida vá ficando mais difícil de se ligar os pontos, precisamos retomar e tirar o pó desse kit. Afinal, ninguém disse que para ser adulto é preciso ser sério. Ninguém disse que para dar certo na vida é preciso parar de rir. Há tempo para tudo nessa vida, sim. Mas sempre é a hora certa para rir. Rir aquela risada que sacode e acorda tudo. Aquela risada que faz você se lembrar quem você realmente é , o que você quer e o que, definitivamente, não quer. Rir tem o poder de hélio de tirar o peso e fazer flutuar. Rir tem o poder de fazer dormir melhor porque deixa mais tempo livre para sonhar. Rir é o maior poder que temos. Rir sozinho, rir junto, rir de si mesmo, rir com o outro, rir, rir do que você quiser, não importa o motivo, tudo vira desculpa. Loucura? Pode ser, mas, o que é ser normal...Plano de fuga? Por que não?! Todo mundo precisa de um. Rir é o segredo de tudo, mesmo que a gente não saiba nem mesmo o que é esse tal, tudo.

http://www.youtube.com/watch?v=AQAEJGUjkCU

29 de julho de 2009

é um prazer estar de volta!

Se eu sei quem eu sou quando estou rindo, então, voltei.
Pensamento para nunca esquecer? "A idiotice é vital para a felicidade"





FONTE: http://autoliniers.blogspot.com/

um lembrete importante

Incrível como quando se quer, do mesmo jeito que se fica rapidamente cego, tão rapidamente se começa a enxergar de novo. Por mais que algumas vezes seja mais fácil olhar o meio copo vazio, não se pode esquecer da essência que na verdade está meio cheio, sempre foi assim e sempre vai ser. Como esquecer disso? Como abrir a janela e deixar todo esse colorido risonho que sempre esteve dentro voar embora? Por que vivemos em busca de garantias para ser? Se somos o que somos por que achar que não somos? Como nos deixamos convencer por pensamentos vazios? Quero propor um brinde de copos meio cheios ou cheios por inteiro (por que não?!): Que os momentos de fraqueza nos tornem mais fortes.

...

As vezes tenho a sensação que o vazio é tão cheio. Ele ocupa tanto espaço que parece ter muita coisa dentro que nem dá para saber por onde começar, mas só parece. O que foi feito para colocar naquele espaço está por ai, pairando no ar, mas por algum motivo é dificil de ligar os pontos. O vazio pode ser de algo que já existiu ou de algo que poderia existir, vai entender. E quanto mais se quer preencher o vazio, mais vazio ele fica. O vazio não funciona sob pressão. O pior de tudo isso é que você nunca sabe quando o vazio vai terminar e esse poder do tempo é angustiante. Acho que todo mundo tem o seu momento de vazio, o meu agora está sendo o de idéias. Só queria encontrar com o tempo para saber quando que isso vai passar. Só queria voltar ao normal, seja lá o que isso signifique.

28 de julho de 2009

Uma vida feita de Covinha e Tatu

Dois. Dois é o número dos presentes que criaram uma nova parte em mim. Uma parte que na verdade ocupa grande parte do que sou, desde que me conheço como gente. Uma parte que é uma das minhas partes favoritas do que eu me tornei. Uma parte que eu nem sei dizer quantos anos tem. Só sei dizer o que essa parte foi criada pela profundidade azul de um e pelo o infinito do cílios do outro. Cada um com a sua mágica de encantar. Seja pela determinação, pela paixão pelo o que cada um escolheu, pelos pensamentos profundos, filosofias e principalmente pelas pérolas, pelo companheirismo, pela sinceridade. Dois que eu cuidei já sabendo que eu não poderia ter algo mais especial nos braços. Dois que eu fiz questão de construir algo que fosse além, algo que se transformasse em uma conexão atemporal e impossível de definir. Só para saberem que estou aqui para qualquer hora, longe ou perto, aqui ou lá, estou com o coração neles. Dois que eu sei que tem um coração que vale cada segundo que eu passei junto dando risada, brincando, desenhando, inventando, tocando, cantando, lutando guerra de travesseiro. Agora o tempo (ele mesmo, sempre ele) passou e todo esse sentimento está crescendo em metro assim como eles. Já se foi a época de eu ser maior . O que não me espanta, eles nasceram para ser grandes com um mundo todo para conquistar , seja pelas pistas ou pelas notas musicais ou pelo o que eles escolherem. Não importa o sonho, não importa como, não importa quando, vou estar aqui, torcendo com todas as minhas forças, com todas as minhas lágrimas e sorrisos, com todos os abraços mais apertados e até mesmo todas as cócegas. Só para agradecer esses dois por quem eles me ajudaram a ser, só para deixar bem claro que esses dois são um dos motivos que eu posso rir sozinha só de lembrar alguma coisa deles, e isso,diz tudo. Não consigo me imaginar sem essa parte e tenho certeza que tudo seria bem mais sem graça se ela não existisse. Ficar para titia é um sonho que é realidade todos os dias da minha vida, ainda bem.

27 de julho de 2009

Feliz dia de alguma coisa!

Ah, se as pessoas soubessem. Se elas soubessem o quanto são importantes para muitas pessoas. Se elas soubessem o quanto elas foram fundamentais para alguém em um dia que elas nem perceberam. Se elas soubessem o poder da sua risada ou da sua palavra no outro. Tem tanta coisa que a gente nunca vai ficar sabendo, tanta coisa que a gente nunca vai falar, tanta coisa que todo mundo pensa, sente e guarda, esperando revelar só em um dia "especial", um dia que talvez nunca venha. As vezes sai uma coisa ou outra em um cartão de aniversário ou outra data comemorativa. Bom seria se todo dia fosse uma "data comemorativa", todo dia seria uma oportunidade de surpreender, só para mostrar o que se sente. Afinal, sentimento não precisa ser guardado que nem segredo.

Degrau a degrau

Você sabe a verdade, mas quando ela vem de algum outro lugar, o efeito é completamente diferente. Você sempre soube que ela estava lá, mas você preferiu dar uma de desentendida e a ignorar. Só para não ter que pensar, só para não ter que deixar umas lágrimas cairem, só para não passar aqueles minutos antes de dormir um pouco angustiada pensando no que aperta a ferida. O mais curioso é que é uma ferida que você mesmo criou. Sim, você. Sem outros culpados, sem desculpas esfarrapadas, foi você. Pelo excesso de cobrança de você para você mesmo, por sempre querer dar certo e nunca decepcionar, por sempre querer fazer tudo o que puder dando o máximo de si, por sempre querer que o o que saia de dentro seja bom e perfeito, por simplesmente esquecer que ser perfeita é impossível, por você ainda não ter se acostumado com algumas das consequências internas das escolhas de vida que você fez. Ai tudo faz pensar se as escolhas foram certas...mas quando se tenta pensar em outra opção: nada, branco, silêncio. Então, se é assim, a única saída é tirar logo esse band-aid e cicatrizar tudo isso. Vai doer, vai chorar, vai fazer crescer, vai melhorar, vai fazer rir de tudo isso e vai ficar a cicatriz de mais um degrau que você subiu.

24 de julho de 2009

"My stupid mouth"


Falar. Falar muito. Falar pouco. Falar baixo. Falar alto. Falar na hora errada. Deixar de falar. É, as vezes o que mais se quer falar (ou fazer), é justamente o que você não se consegue, por algum motivo.Não que seja algo muito sério e profundo. É só algo que está dentro e que gostaria muito de virar realidade. Só que por falta de prática, nem dá para saber onde começar. Quanto mais se pensa, mais ele aumenta e fica mais difícil de desintalar. E quanto mais ele fica encorpado, mais ele fica receioso de ser ridicularizado. Por isso ele acaba ficando escondido em um canto, até que alguém finalmente resolva acabar com o esconde-esconde.

"O ritmo dos pingos ao cair no chão..."

Mais do que deixar o dia "feio". Mais do que aumentar o trânsito. Mais do que ser o cenário propício para um cobertor, um filme e uma pipoca, a chuva pode ser uma oportunidade. Sim, uma oportunidade. Com a chuva fica muito mais fácil parar, olhar para os pingos e pensar em alguma conclusão que você está precisando chegar ou trazer a memória aquela lembrança que até dá a impressão que o sol está para sair lá no fundo. Na chuva se tem a chance de diminuir o ritmo dos pensamentos, de diminuir o ruído que atrapalha e filtrar só o que importa. E seguindo o caminho que a gota faz no vidro, ou o desenho das poças, você tem aqueles instantes de encontro marcado com você mesmo, um compromisso inadiável e que sempre vale a pena, um reencontro que pode durar um dia inteiro ou alguns segundos. O importa é estar atento sempre, mesmo em uma chuvinha que seja.

23 de julho de 2009

Fica fe-liz!

Quando a dor foi tão grande que fica difícil respirar, quando as lágrimas pularem do olho sozinhas, quando a vontade for de sumir, lembre sempre de que vai ter alguém do seu lado. Nem que seja para dar o abraço apertado que diz tudo o que era para ser dito. Nem que seja para ouvir o desabafo que precisa sair para não ficar e embolorar. Nem que seja falar a mesma coisa muitas e muitas vezes. Nem que seja para ser o ombro que vai acomodar as lágrimas. Alguém que também acredita que tudo não vai terminar assim. Alguém que vai fazer questão de acompanhar tanto a parte difícil como a parte boa desse caminho. Um caminho que apesar de ter curvas difíceis, é cheio de árvores, lagos, céu de brigadeiro, com um sol que entra lá dentro iluminando cada partezinha. Tudo isso para formar aquela paisagem de quadro, que no final, é o que vai ficar. Fica feliz, porque você não está só.Fica feliz, porque "para cada lágrima há um rio de esperança". Fica feliz, porque o seu dia vai chegar. Fica feliz, porque as marcas que você está deixando nesse tempo todo são profundas e valem ouro. Fica feliz, porque a sua fé faz com que você e todos que estão por perto, enxerguem mais longe. Fica feliz, porque você é a personificação do que é o verdadeiro amor, aquele, o incondicional. Fica feliz, porque a sua vida não era para ser como qualquer outra. Fica feliz, porque a história que foi escrita para você é muito melhor do que qualquer uma que poderíamos inventar. Fica fe-liz.

22 de julho de 2009

Maestro, uma nota! Qual é a música?


Música. É o meu grande fascínio da vida. Nunca entendi como. Como que sete notas, que são só sete, podem ter combinações infinitas. Como que dentro dessas combinações tem tanto espaço para tanto sentimento ficar junto em um mesmo lugar. Como que esses sentimentos se encontram e combinam com aqueles que estão aqui dentro, formando uma explosão de sentimentos maior ainda. E esse show pirotécnico é diferente em cada pessoa que se permite ouvir. E com tudo isso ainda sobra espaço para as lembranças, as pessoas, os momentos. Não diria que é um vício, porque não faz mal, mas já não é possível viver sem. É a companhia para toda e qualquer hora, que faz o silêncio ficar confortável, que faz tudo ficar mais fluorescente, que faz você ter a única chance de controlar se quer que o tempo passe rápido ou devagar. Ela é inspirada na vida e a vida pode ser inspirada por ela. Com ou sem palavras é como um rio que passa renovando tudo, ou é um cobertor que abraça e aquece, ou é um chocolate que adoça, ou é um peteleco no coração que faz chorar, ou é uma piada que faz rir, ou é um novo por do sol com uma noite estrelada e um nascer do sol colorido. Com ela tudo se torna eterno, único e especial, como se cada nota só existisse para aqueles minutos e nada mais. Cada momento da vida deveria ter sua própria trilha sonora, até mesmo o último deles.

20 de julho de 2009

Mais um dia de olho embaçado

Quando um pedaço do coração se vai, fica claro que não é preciso estar sempre perto para amar. Quando um pedaço do coração se vai, mesmo quando já se espera, é dolorido. Dói, porque é inevitável pensar como a história poderia ter sido diferente, é impossível não lamentar tudo o que se perdeu por coisas que não valeram a pena. Por que o ser humano insiste no orgulho, na ganância, na busca de miragens vazias, enquanto o que realmente importa está sendo perdido no meio do caminho? A vida é curta e imprevisível demais para ficarmos fingindo que ela não é real. Achamos que temos todo tempo do mundo para consertar o que nos machuca, para resolver o que está pendente, para falar o quanto se gosta das pessoas e o que elas importam na sua vida. Mas quanto mais temos tempo, menos a gente faz. E quanto menos a gente faz, mais a gente se entrega e deixa a vida levar. E quanto mais a vida leva, mais se esquece os motivos que fazem sorrir, que fazem chorar, que fazem sonhar, que fazem lembrar, que fazem amar, que fazem viver. E começa um piloto automático que só vê tudo passar. Só quando a contagem regressiva acaba que acordamos com o barulho do alarme. Bom seria se o despertador tocasse antes de ser tarde demais. A vida pode ser tão boa, tão simples, tão alegre, tão fascinante quanto um céu estrelado, mas só é possível enxergar isso quando se quer enxergar, assim como os milagres só acontecem quando ainda existe, um tantinho que seja de esperança e fé de que um dia tudo seja como tem que ser. Agora só ficam algumas lágrimas, lágrimas que podem até mesmo curar, tudo depende aonde elas vão cair.

16 de julho de 2009

Enche o tanque com gás hélio, por favor?

Ah, a inspiração. Algo que invade de repente e faz com que cada parte de você se sinta VIVO. Faz com que você se sinta capaz até de mudar o mundo, de parar o tempo, de criar um novo rumo para a vida. A inspiração tem um pouco do que a felicidade é feita, com um tantinho de coragem, com uma porção de esperança e uma pitadinha de criatividade. A inspiração faz você lembrar de tudo e ao mesmo tempo, esquecer de tudo. É como se fosse uma segunda, terceira, quarta chance que a vida te dá para fazer as coisas de um jeito diferente, novo, sem se acomodar, para não fazer como você sempre fez ou como todo mundo faz. Ela é propositalmente maior do que ela cabe no corpo. Por isso ela é contagiosa, fica no ar. É como um fôlego de vida que enche o pulmão, faz abrir um sorriso e aparecer um brilho no olho. É por causa dela que a vida não é monótona, nem sem graça, nem branco e preta, nem muda. A inspiração pode vir de onde, do que e de quem você permitir que ela venha.

15 de julho de 2009

"That's the way this wheel keeps working"

As vezes parece que não dá para mudar algo que você sempre faz. Por mais que a vontade seja de nadar contra a maré, com toda força, com todo o aprendizado que as feridas trouxeram, com toda vontade de fazer diferente, com todo ânimo dos sonhos que ainda estão do lado de dentro só esperando. Mas, alguma coisa acontece e em um milésimo de segundo parece que alguém grita: freeze! Deixando você imóvel. A única parte que se mexe é o olho, ele, que vê tudo acontecer novamente. Cansado, ele deixa cair discretamente uma lágrima, uma ou duas. Elas levam embora, mais uma vez, um tantinho da esperança. Elas vão, mas deixam, de novo, aqueles pontos de interrogação básicos: 1. Como? Como você se deixou levar, de novo, pela lábia da ilusão traiçoeira? 2. Por que? Por que a imaginação precisa ser tão fértil? 3. Quando? Quando que isso vai parar de acontecer? 4. Quem? Quem disse que tudo isso seria tão complicado? O resultado de tudo isso nunca é catastrófico. Sempre acaba com o prêmio que todos dizem ser o melhor deles. Talvez essa seja a natureza mais profunda da essência desse alguém que já não sabe o que fazer: amizade pura. Querer que fosse diferente, pode até ser, mas não sei se adianta. O tempo está ai, não cansa em passar correndo e tudo continua igual, como sempre foi. E assim você continua, lutando novamente com a dor do risoto ser mais uma vez só um grão de arroz. E assim você continua, miraculosamente, com o restinho de esperança que sobrou, esperando que um dia seja tudo diferente.

13 de julho de 2009

Tempo de colher e agradecer

O que mais consola com essa  relação de amor e ódio com o tempo, (por mais que eu ele teime em passar rápido demais, tem coisas que só ele pode fazer) é que realmente tem tempo para tudo. Esse blog é o meu tempo de crescer, de conhecer até posso ir. Quando escrevo, confesso que estou falando sozinha, jogando no vazio as palavras, para nunca esquecer o que não quero esquecer ou para esquecer o que devo esquecer, para deixar o pensamento voar alto porque ele vai e sempre volta diferente, para descobrir novos significados nas palavras soltas, para resolver o quebra-cabeça, para brincar de vaca-amarela, para soltar alguns sonhos ao vento e pescar outros. Mas o que eu não esperava encontrar nesse big bag of dreams, que para mim era tão pessoal e que fazia sentido só para mim, são os presentes raros que ele me trouxe. Surpresas que nem o kinderovo poderia ter. Presentes que me fazem ver que eu não sou a única a querer ver e pensar diferente, que estão fazendo a vida ficar mais interessante, que me dão mais certeza de que não devo estar tão errada de ser do jeito que sou e pensar o que eu penso. Pode até parecer que esse blog demorou para dar frutos, mas como eu nem esperava que ele desse, estou no lucro. E fora que, como tudo tem o seu tempo certo, não tinha que ser antes ou depois, tinha que ser agora. Assim como tem que ser agora o agradecimento para esses que fazem o meu coração ficar agitado de alegria quando recebo um email “novo comentário em…”. Não digo que escrevo só para ser lida, porque nunca vou deixar de escrever, mas ando mais inspirada e motivada para escrever e disso, vocês fazem parte. Esse sonho, eu nem sabia que tinha, mas agora já realizei. Obrigada. 

O que é especial?

Especial. Especial só tem sentido para quem é genuinamente especial. Especial é tudo o que é essencialmente fora do comum. Especial é tudo aquilo que fica fora da linha do tempo, porque é impossível lembrar como começou, quanto durou e quando acabou. Especial é tudo aquilo que não é egoísta porque não se vive nada sozinho, é sempre compartilhado. Especial é aquilo que consegue marcar no fundo todas as pessoas por perto. Especial é aquilo que faz aparecer o brilho nos olhos e saudade no coração. Especial é o que faz a vida valer a pena. Especial é o que dá sentido para ser tudo o que se é. Especial é algo que cresce e faz crescer. Especial atrai tudo o que é especial, é um ciclo deliciosamente sem fim. Especial é o conjunto de tudo que tem gosto, cheiro, fotos, lembranças, risadas, lágrimas, abraços, conquistas, perdas, amor, tem a vida. Especial, não pode ser medido e nem tem valor estimado, é simples e nobremente, especial. Especial é algo que é impossível ser replicado ou até mesmo explicado. Especial é o que não vai acabar nunca porque sempre vai estar vivo do lado de dentro. 

11 de julho de 2009

"This is fact not fiction, for the first time in years"

Eu já tentei parar de ficar querendo saber o que vai acontecer. Pode não parecer, mas a verdade é que essa sonhadora aqui, não quer viver um conto de fada, aqui não tem a ingênuidade de desejar isso, "faz de conta" não leva a lugar nenhum, porque é de mentira. Contraditório uma sonhadora ir atrás do que é real? Na verdade, não. O verdadeiro sonhador não é alienado. O verdadeiro sonhador é que aquele que só sonha porque ele sabe dar valor ao que ele vive e já conquistou e, por isso mesmo, que ele continua tendo vontade de sonhar. O verdadeiro sonhador não sonha por sonhar, ele sonha porque ele vê a realidade e o que está além dela. Para o verdadeiro sonhador o sonho não é algo abstrato, ele é tão promissor quanto uma semente, tão intrigante e provocante como o trailer de um filme que ainda vai passar. Sim, filme. E esse filme nem precisa ser mega produção com os clichês mamão com açucar com final feliz. Quem disse que todo filme precisa ser ilusão? Por que todo mundo teima em criar padrões? Por que todos acham que toda sonhadora quer viver algo ideal, algo perfeito, algo eterno? Existem sonhos de todos os tipos, ninguém entende?! Um dos meus é viver algo real. E o real pode ser simples, e/ou intenso, e/ou cheio de imperfeições, e/ou engraçado, e/ou que dure o suficiente. Tanto faz! Só precisa ser real...


8 de julho de 2009

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa

Ilusão e sonho não são a mesma coisa. A ilusão engana. O sonho dá esperanças. A ilusão tem gosto amargo. O sonho tem o sabor que você quiser. A ilusão até faz voar, mas o tombo machuca. No sonho você voa e pousa onde você escolher. A ilusão não tem futuro, é sem possibilidades. O sonho é infinito. A ilusão é o que não existe. O sonho é o que pode vir a existir. A ilusão é disfarce. O sonho vem do que é verdadeiro. A ilusão é desbotada. O sonho tem até trilha sonora. A ilusão desaparece. O sonho dá frutos. A ilusão você faz questão de esquecer. O sonho é inspiração constante. A ilusão é ferida. O sonho é a cura. A ilusão deixa cego. O sonho, abre os olhos.

7 de julho de 2009

O dia que eu me achei em várias ilustrações!

Amei essas ilustrações do Edward Monkton! é, tem vezes que realmente não é preciso de muitas palavras para se falar muito. Hoje faço questão de ficar quieta porque não preciso falar mais nada!

http://www.edwardmonkton.com/


are_you_normal

large_OU3108AD_b

OU_EdwardMonkton_Sunshine EM_Beautifulinside_L untitledDeep%20Thought untitled_1