17 de outubro de 2012

Um assalto, uma lição, na humildade.

As vezes certas coisas acontecem e a gente não entende o porquê. Nem tudo tem que ter uma explicação. Mas tudo tem uma lição. Até mesmo ser assaltada na véspera do feriado. Depois do susto, da tremedeira, da raiva, da impotência, de agradecer a Deus pelo cuidado, do alívio de estar viva, da alegria de saber que vão os celulares e ficam as orelhas, comecei a pensar o que de bom eu poderia tirar daquilo tudo (sim, essa sou eu). E por mais que em um primeiro momento pareça que a única lição é a de nunca mais ficar sozinha no ponto de ônibus a noite e ficar mais ligada, alguns outros detalhes vão aparecendo. Tem duas frases que o ladrão falou que não sairam da minha cabeça (fiz questão de apagar da cabeça as ameças de sentir a dor da bala de uma arma, que eu nem sabia se ele tinha ou não). Quando ele me abordou, pediu para eu passar só o celular, sem reação, na humildade. Na humildade. Isso me chamou muita atenção. Por que quer saber? Quero sempre estar na humildade mesmo. As vezes essa loucura da correria faz a gente esquecer do que é simples, do que realmente importa e por uma besteira podemos perder tudo, seja em um assalto ou no dia a dia mesmo! E a outra frase foi quando ele me levou para uma viela escura (os piores segundos da noite porque a imaginação foi longe do que poderia acontecer), e falou para eu ir andando pra frente sem olhar para trás. Eu sempre falo que o meu lema de vida é viver tudo o que se tem pela frente sem deixar nada para trás. Mas aqueles passos de medo no desconhecido escuro falaram muito comigo. Porque eu não podia olhar pra trás, a minha única opção era seguir em frente, sem olhar no retrovisor para me sentir segura, a vida estava lá na frente e era essa a única segurança que eu tinha (além da fé em Deus). Para mim isso tudo fui um recado bem claro para essa parte da vida: seguir em frente, sem olhar para trás, na humildade. O celular foi embora, mas a lição ficou.

2 comentários:

Edison disse...

Humildade é sempre bom, mas o pior é a impotência que a situação exige.

Acho que é aí, que muitas pessoas, acostumadas ao controle da vida, perdem a cabeça.

É importante nessas horas acreditar em uma força maior, mesmo que seja o karma, que tudo se regulará de forma mais ampla do que podemos compreender.

Mas que bom que você manteve a calma e agora está tudo bem.

flipchoa disse...

Po, Gabis... te admiro muito... eu li isso e simplesmente fiquei sem reação... nenhuma, nada, zero... Nem consigo imaginar você e o que sentiu e como pôde seguir... Poxa, graças a Deus to lendo isso e sei que está bem... cuide-se! E sempre que precisar conta com a gente...

Véspera de feriado é sempre complicado... :\