12 de agosto de 2012

Você acredita?

Não costumo escrever histórias pessoais. Mas essa merece vir para o Big Bag.
Para quem nasceu de um milagre, fica difícil viver sem falar sobre fé em Deus e o Amor que ele ensina a ter. Não acredito em religião, porque procuro ter um relacionamento com Deus. Uso a minha fé para me tornar uma pessoa melhor para mim e para os outros. E com isso fui aprendendo a escolher crescer com cada pequena grande coisa que acontece. Não importa se boa ou ruim. Porque boa e ruim é muito relativo, já que com o tempo o que era ruim pode se tornar bom, se conseguirmos enxergar com os olhos certos. 
Acontece que há uns meses atrás eu comecei a ficar com um mal estar horrível em quase todo final de tarde. Algo que me tirava o ânimo, me deixava com a sensação febril. Não quis me considerar doente porque não queria me render. Queria continuar lutando e sorrindo, independente de qualquer coisa. Depois de examinar, descobri que era um vírus no fígado, e no mesmo dia que eu descobri isso, eu tive um sonho que de dentro de mim saia um tubo de ensaio etiquetado com um negócio preto horrível dentro mas que eu olhava aquilo sem medo. Fiquei firme que aquele sonho já era uma vitória para mim. Continuava com o mal estar que ia e vinha. Cheguei no médico especialista e ele disse que não tinha o que fazer, o tratamento seria mais agressivo do que o próprio vírus naquele estágio e que eu teria que esperar o meu corpo criar anticorpos. Nessa hora eu lembrei do sonho que eu tive e sai do consultório acreditando que o tempo daquilo tudo estava acabando. E dito e feito. Naquela semana eu melhorei. Mas fiz os exames que foram pedidos mesmo assim. Quando o resultado chegou o médico me disse que ele não sabia como, mas o vírus não estava mais lá!!
E nessa história sobrenatural que dessa vez fui eu que vivi, eu percebi que os maiores milagres são aqueles que acontecem dentro da gente, transformando tristeza em sorriso, doença em saúde, angústia em esperança. Só quando não tem mais jeitinho nenhum pra dar, que Deus pode entrar e fazer o que a ciência não pode explicar. E aí eu vi que é quando a gente reconhece a nossa fraqueza que Deus nos faz forte. 
Eu acredito que essa é só uma das histórias que eu vou ter pra contar. O ano ainda não acabou e a minha fé está maior do que nunca. Eu cri no milagre antes mesmo de precisar ver e quero continuar assim. Crendo em Deus e espalhando ao mundo esse amor, alegria e paz que ninguém consegue explicar ou medir.

2 comentários:

flipchoa disse...

rs, Nao sei se te contei já...

Mas eu sou católico, pelo menos já tentei ser... hoje to tentando resistir. rs

Bem, o fato é que eu tava numa dúvida grande... que ia mudar muito minha vida, mudar de cidade e tal. Basicamente, entre ir fazer universidade no interior, ou... continuar em SP com uma bolsa que consegui.

Foi lá eu e minha mãe na igreja... e de repente... eu pedindo, sei lá, uma luz na minha vida, orando... abri os olhos... e a primeira coisa que vi na minha frente: um rapaz com uma camiseta da UNESP. (a tal universidade no interior). rs

A unica coisa que fiz foi mecanica e lentamente, apontar p/ minha mãe... que só pôde olhar resignadamente com aquele tom de concordância apesar de que no fundo, ela queria mesmo é que eu ficasse em SP. rs

Detalhe: nunca tinha visto antes alguém com uma camiseta da Unesp na região onde morava... e nunca mais vi também... :P

E essa é só uma de algumas outras... rs

Gizelda disse...

Viver um milagre é infinitamente superior a simplesmente acreditar nele.Sei com todas as letras sobre o que vc falou e concordo : com Deus a gente fica invencível, independente de qualquer religião.
É uma questão de fé, que não se explica.

Beijo, querida...você vai ter muitos outros presentes como esse!